jump to navigation

Papão de 54

 

“O Papão de 54”: belo resgate de um futebol, de um clube e de uma cidade que não voltam mais.

Felipe Prestes

Cinqüenta anos depois da conquista do campeonato gaúcho pelo Grêmio Esportivo Renner – em 1954 – produziu-se um belo documentário que narra a trajetória do clube desde a fundação, em 1931 – por funcionários da malharia Renner – até sua repentina extinção, em 1959, e cumpre com louvor a missão de resguardar a memória do esporte gaúcho, e em especial da Zona Norte de Porto Alegre.

Em tal conquista, o time dos industriários quebrou a hegemonia de 25 anos da dupla Gre-Nal em campeonatos gaúchos, feito repetido apenas duas vezes em mais de meio século (pelo Juventude em 1998, e Caxias em 2000). Com craques como Valdir de Morais, Ênio Andrade e Breno Mello – que depois atuou no Fluminense e protagonizou o filme “Orfeu do Carnaval” – o “Papão” fez campanha irretocável, sagrando-se campeão invicto.

Depoimentos de jogadores, funcionários e familiares demonstram a união daquele grupo. Não faltam boas histórias de um futebol praticado em tempos mais amenos. Recortes de jornais e fotografias, e a participação de jornalistas e pesquisadores mostram uma Zona Norte de Porto Alegre – mais precisamente bairro Navegantes e arredores – que apesar de já industrializada, ainda se distanciava do caos e da pobreza atual.

Tempos em que os orgulhosos moradores da então charmosa região lotavam o Estádio Tiradentes, conhecido como Waterloo, onde o Renner era imbatível, garantem os poucos – e orgulhosos – torcedores rennistas que participam do documentário. Já foram muitos, tomaram as ruas pra comemorar o título gaúcho. Hoje se emocionam ao falar da extinção do clube, quando a fábrica decidiu “investir em publicidade”, ao invés de bancar a equipe.

Eram outros tempos, não se percebia a publicidade em ter uma equipe de futebol. Tempos românticos – ou romantizados por nós? Tempos muito bem registrados na emoção de antigos atletas, de um velho chefe de torcida, de um velho médico do clube, com sua velha maleta, contemplando o Estádio Eucaliptos – palco de vitórias rennistas – completamente vazio.

Papão de 54 (2005)

Documentário

65 minutos

Diretor: Alexandre Derlam

Comentários»

1. Alexandre Derlam dos Santos - 12 abril, 2008

Felipe Prestes
Descobri seu comentário sobre o filme. Agradeço pela lembrança. Fiquei mesmo contente. O filme foi trabalhoso e muito, mas muito difícil de realizar. Sem investidores, nem patrocíninadores tivemos que bancar tudo. No final fomos recompensados por inúmeros agradecimentos.
O que você escreveu está muito bom. Você está de parabéns.
Obrigado pelo reconhecimento.
Um abraço.
Alexandre Derlam

2. Alexandre Derlam dos Santos - 12 abril, 2008

Felipe Prestes
Descobri seu comentário sobre o filme. Agradeço pela lembrança. Fiquei mesmo contente. O filme foi trabalhoso e muito, mas muito difícil de realizar. Sem investidores, nem patrocíninadores tivemos que bancar tudo. No final fomos recompensados por inúmeros agradecimentos.
O que você escreveu está muito bom. Você está de parabéns.
Obrigado pelo reconhecimento.
Um abraço.
Alexandre Derlam

3. josé adão jr - 15 abril, 2008

Lembro-me bem do campo do Renner, (na av. Sertório, entre Presidente Roosevelt e Farrapos), confesso que era muito jovem, criança mesmo. Recordo o aspecto em que se encontrava, em decadência, o gramado mal cuidado, o descaso(fim dos anos 60). O amadorismo empurrava os atletas á jogarem por amor imagino eu, pois só assim se explica o feito inédito. Quando ouvi no rádio sobre o filme, lembrei-me de tudo com detalhes, o estádio tinha uma parte em madeira, voltei a infância. Vou assistir este registro da história, em que homens, antes de pensar em quanto ganhariam, preocupavam-se em vencer, sem mídia, sem salto alto e sem o brilho dos holofotes.
Deve ser imperdível com certeza.

4. reporteresportivo - 15 abril, 2008

Alexandre,

Fico lisongeado com seu comentário. Mas quem merece agradecimento é você. O futebol gaúcho agradece o seu trabalho.

Abraço,

Felipe Prestes

5. reporteresportivo - 15 abril, 2008

José Adão,

Com certeza o filme é imperdível! Recomendo.

Abraço,

Felipe Prestes

6. beto silva - 23 abril, 2008

Sou gaúcho e moro no Recife desde 2001. Não conhecia este documentário, que acabo de ver no Canal Brasil. Confesso que fiquei muito contente em assistir um trabalho tão dedicado, com depoimentos preciosos e uma bela reconstituição da importância que teve e ainda tem o Renner, seja na sua grande conquista e seja no coração de muitos torcedores e ex-atletas, todos muito apaixonados.

7. valdir machado - 5 novembro, 2008

Eu vi o filme. Sou professor de história e gosto muito de ler e pesquisar sobre futebol.Nasci em 1966, portanto não vi nehuma façanha do alvi-rubro(assim como o “meu Inter”). Lembo do Larry falando: “Bah, lá(no “Waterloo”) era complicado.”. Futebol e fábrica.Futebol e operariado.A cultura operária formando-se a partir do núcleo capitalista:a fábrica dos anos 30. Urbanização, industrialização e migração.O espetáculo para as massas no contexto do fascismo e nazismo do entre guerras.O Autoritarismo varguista(1930-450 e o autoritarismo civil-militar pós-64, tiveram laços “afetivos” com o futebol.O”herói”, que pode ser o cívico(Estadio Tiradentes) ou os” heróis”, os “guerreiros” do campo. Competir e ganhar. Enfim, a cultura do capitalismo.Mas foi também emoção e identidade tecida no cotidiano da vida na fábrica.Valores de disciplina,organização. A difusão da economia-mundo iniciada no século XIX e do futebol. Do elitismo ao esporte das massas,globalizado.Ofutebol é polissêmico.Nos últimos vinte anos vem tomando a universidade em estudos que refletem esta abordagem polissêmica.Certamente o filme é mais uma destas contribuições.
Belo filme.Fiquei emocionado.Parabéns.
Nota.Assiti ao filme nO cANAL 66(NET)

8. marcelo Metzler - 28 dezembro, 2008

POr favor como eu faço para comprar este dvd

9. Juarez Guilhon Lucas - 14 março, 2009

Lembro-me bem ainda, embora criança na época. Eu tinha 12 anos em 1954, quando meu pai (já falecido) levou-me ao Estádio do Renner, no 4º Distrito, para assistir a Renner x Grêmio, cujo resultado foi 3 a 1 para o “Papão de 54”. Até hoje mantenho viva na memória a escalação do Renner daquela gloriosa época que não volta mais, a não ser em minha lembrança e em minha saudade: Valdir; Orlando e Paulistinha; Bonzo, Léo e Olávio; Pedrinho, Breno, Juarez, Ênio Andrade e Joeci. Como diz o ditado, “recordar é viver”, e eu sempre vivo mais quando me lembro do Renner e daqueles saudosos tempos. Sem querer “dar uma” de saudosista, sou obrigado a dizer que já não se fazem futebol, times e jogadores como antigamente. Assisti ao filme no canal 66 da Net, foi realmente emocionante e de fazer chorar. Parabéns.

10. Juarez Guilhon Lucas - 14 março, 2009

Esqueci de pergunar em minha mensagem anterior como faço para adquirir o DVD do nosso glorioso Renner. Aguardo resposta pelo e-mail (jglucas@via-rs.net) ou pelo telefone 51 3029-8780.

11. Adriano gaspar Vitorino - 20 abril, 2009

olá , onde posso encontrar o DVD do “papão de 54” ?

12. Adriano gaspar Vitorino - 20 abril, 2009

olá , onde posso encontrar o DVD do “papão de 54″ ?
agvittorino@uol.com.br

13. Walter Lattuada - 28 agosto, 2009

Gostaria de saber como adquirir este DVD?

14. Luiz fernando Simao - 4 janeiro, 2011

ola gostaria de saber como posso adquirir o documentario? obrigado

15. Osvaldo Alencar - 31 janeiro, 2011

Caros amigos,
Que saudade! Eu morei duranteminha infância e juventude em Porto alegre, nos anos cinquenta e tive a felicidade de torcer pelo Renner, quando o vi campeão de 54. Como se fosse hoje, relembrei de todo o time ao ler esse site.
Cheguei a me deslocar da Medianeira até à Av. Sertório para assistir jogos do Renner, no Estádio “Waterloo”.
Minha satisfação foi alimentada ano passado quando ganhei de presente de um prezado Colorado (Dr. Saul Carvalho Pinto) que mora em Matelândia-PR o DVD sobre o Renner. Fui às lágrimas várias vezes.
Hão vocês de imaginar que relembrar os momentos da vida gente depois de mais de 50 anos não dá pra segurar. Ainda mais um saudoso que mora há mais de meio século a 3.500Km de distância do Estádio Tiradentes.

16. Porto mais alegre do que nunca | impedimento.org - 26 março, 2012

[…] o último clube da cidade além da dupla Gre-Nal a conquistar o título estadual. De quebra, uma resenha escrita por Felipe Prestes e o único lugar que achamos para comprar o […]

Roberto Amaro de Azevedo - 14 abril, 2012

Roberto Azevedo, l4 de abril de 2012.
Assisti o filme e realmente me emocionou muito, principalmente quando o nome de meu pai foi citado, Sr. Mario Silveira de Azevedo presidente do Grêmio Esportivo Renner, Papão de 54, no qual eu ainda menino participei junto com ele da grande festa na cidade de Porto alegre

17. eNIO eRNO sEIBERT - 30 agosto, 2012

O DVD do documentário do Renner encontra-se à venda na locadora de Porto Alegre: E O VÍDEO LEVOU – fone 51 – 3330.8733. O preço básico é de R$ 30,00. É só contatar por telefone e ver como pode ser adquirido. Enio Seibert – e-mail: enioseibert@hotmail.com


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: