jump to navigation

Na casa do inimigo

 

Mariana Costa (mariana.bcosta@yahoo.com.br)

Surpreendente. Assim defini minha ida ao Gre-Nal na torcida colorada. A função daquele domingo começou cedo, como em todos os jogos, churrasco e cantoria desde antes do meio-dia.

A escolta foi pontual, 14:00/14:30 já estávamos todos saindo do Beira-Rio em direção ao Olímpico. Caminhada ansiosa, animada. Um homem de camiseta do Grêmio apareceu na sua sacada, provocativo, e foi xingado pela massa vermelha e branca. Por onde a escolta passava, havia gente abanando. O futebol do Sul move paixões, senti-me uma guerreira indo para o campo de batalha.

Na frente do Motel Botafogo, a surpresa: PAREDÃO. Homens para direita, mulheres para esquerda. Os policiais foram mal-educados, rudes e, por muito pouco, não os acusaria de abuso. Eles também estavam com os ânimos exaltados.

Saindo da Botafogo, Azenha. Daí o bicho pegou, sabe-se lá por que, a brigada desceu o pau nos torcedores que estavam na última fileira. Subimos a Florianópolis, pegamos uma ruazinha e chegamos ao Olímpico. Já estava na hora.

Mesmo depois de 1h de caminhada, ficamos trancados na rua, ou entrávamos, ou ficávamos com sede. Entramos antes que desse algum confronto PM x Torcedor-querendo-comprar-ceva.

Depois de entrar no Estádio era só alegria. O banheiro masculino estava quebrado, não sei se quebraram por querer. Quem, em sã consciência, quebraria um banheiro em uso? Bom, o fato é que do banheiro masculino corria água, que desceu pela arquibancada e estimulou alguns a brincarem de pisar nas poças.

Antes de o jogo começar, torcida colorada cantava todas as músicas em uma só voz, era só alegria. Passou o tempo, começou o jogo. Nem tinha terminado o segundo tempo e estávamos sem copa.

Fim de jogo, a indignação era visível. Além de perder, deveríamos esperar os torcedores do Grêmio esvaziarem o Estádio antes de sairmos. Porém, alguns integrantes da Geral do Grêmio sentaram na arquibancada, e lá ficaram, mesmo na chuva, apenas para nos fazer esperar mais.

Na arquibancada do Internacional, nem todos haviam perdido o bom-humor. Alguns cantavam funk enquanto outros dançavam, tudo em paz. Daí a choque entrou, achei que fossem quebrar tudo. Um alto e claro “puta que pariu, essa PM é a vergonha do Brasil” ecoou no Olímpico já vazio.

Uma vez liberados, voltamos com a escolta. Subimos mais lomba, aliás, nunca tinha visto disso: lomba pra ir e lomba pra voltar, só podiam estar de brincadeira! Alguns torcedores da Popular riam (pra não chorar, eu acho), “A Popular também é saúde!”.

A Brigada era cretina. Jogavam os cavalos e as motos por cima de nós sem escrúpulo algum. Chegando à Silvério com a José de Alencar, a surpresa: voltaríamos pela Silvério. “Mas o quê que custa nos levar pela José de Alencar?”, dizia um torcedor indignado. O resultado era óbvio, furaram a escolta.

No novo trajeto um bar repleto de gremistas fora depredado. Um brigadiano ria, “liga pro 190”. Quando eu ri, ele me xingou. Bem macho de farda e arminha na mão.

De resto, tranqüilo. Terminei minha noite surpresa, meus principais inimigos não foram os gremistas, ou algum arruaceiro colorado. Meu medo era da Brigada Militar.

Anúncios

Comentários»

1. 2ª Edição – É hora de continuar « - 20 junho, 2009

[…] Por fim, as colunas de nossa equipe. Espaço, que será ocupado por textos variados, sem nenhuma restrição de forma ou conteúdo. Dessa vez, Felipe fala sobre o radinho; Luís Eduardo conta sua relação com seu primeiro ídolo, Nelson Rodrigues e o futebol do passado; e Mariana fala sobre seu primeiro Gre-Nal na torcida visitante. […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: