jump to navigation

A América Latina do futebol não se cala

Na cúpula ibero-americana, o rei espanhol Juan Carlos manda Hugo Chávez se calar. Para quem acompanha o futebol e a história latino-americanos, mandar a América se calar não é novidade. Os colonizadores tiram os melhores talentos daqui como Pizarro e Cortez tiravam o ouro dos índios lá em 1500. A matéria prima sai fácil, para nós restam os espelhos e as bijuterias.

Houve um tempo em que a melhor forma de enfrentar esse jugo colonizador era vestir a camisa da Seleção Nacional em Copas do Mundo. Com jogadores formados e atuantes aqui no terceiro mundo, geralmente com a malícia e a habilidade que os europeus não tinham, podíamos brincar de Atahualpa e inverter um pouco a lógica histórica. Este tempo acabou. Agora, as seleções vestem marcas européias, seus jogadores só voltam ao país por turismo. Com os bolsos forrados de dinheiro, às vezes pedem ao treinador que os amistosos sejam na Europa, para um desgaste menor com as viagens. Consta que nos treinamentos da Seleção, os jogadores de defesa se comunicam em inglês, os meio campistas em espanhol e os atacantes, em russo e holandês. Essas duas últimas línguas são incompreensíveis – daí o motivo da falta de entrosamento. Português só para as entrevistas coletivas, pois ainda é preciso enganar o povo com a idéia de que existe um “futebol brasileiro”.

Os sinais do colonialismo vil são cada vez mais evidentes. A Abril-Panini resolveu lançar agora um álbum de figurinhas dos campeonatos europeus, dos brasileiros que jogam lá. Sim, por que o álbum do campeonato brasileiro só dá prejuízo: as edições de maio, quando o certame começou, devem trazer Pato no Inter e Carlos Eduardo no Grêmio. Nossas crianças estão sendo educadas a adorar o futebol europeu. Vestem camisetas do Milan, do Chelsea e do Real Madrid, originais nas escolas mais ricas, piratas nas escolas mais pobres. É lá onde jogam os seus ídolos, Robinho, Pato, Gerrard, Shevchenko, Ronaldinho. É lá que aparece “o melhor futebol do mundo”, segundo a TV.

Esse colonialismo cultural provoca verdadeiros absurdos. Muitos entendidos de futebol são capazes de dizer toda a escalação do Olympique de Marselha, titulares e reservas; mas não conseguem saber quem foi o último campeão uruguaio. Marselha fica a milhares de quilômetros daqui e ninguém quer saber do nosso futebol ou da nossa vida. Ali em Montevidéu, pode jogar o próximo artilheiro do nosso time. Mais adiante, na Argentina, pode estar o próximo time a nos eliminar na Copa Sul-Americana. Aí um Beto Acosta destrói no campeonato brasileiro, um Millonarios elimina o São Paulo campeão brasileiro. E ficamos aqui alienados com os nossos Anderlechts.

É urgente uma guinada ao sul, um jornalismo voltado ao futebol sul-americano. Ao futebol que conquistou nove copas do mundo, e que venceu os grandes clubes colonizadores no Japão por 25 vezes. Ao futebol mais vitorioso do mundo, apesar de não contar com trilhões de dólares. Ao futebol jogado com o máximo da habilidade e o máximo da raça. Ao futebol que traduz o que resta de sangue, suor e lágrimas – elementos que se perderam em oceanos de dinheiro.

Alguns focos de resistência já foram erguidos, como o blog Impedimento e a Liga Pampa. Este colunista está fardado e pronto para ir às barricadas. O orgulho não arrefece, o sentimento não termina e o estádio traz mais alegrias do que a tela da TV.

Luís Felipe dos Santos

visite também: www.impedimento.wordpress.com

www.ligapampa-uy.blogspot.com

Comentários»

1. Leo Ponso - 21 novembro, 2007

Argh. Agora estou envergonhado de não ter escrito nada até agora. Mestre absoluto.

2. STANLEY - 21 novembro, 2007

poderia passar os links dos blogs Impedimento e Liga Pampa?

parabéns pelo texto, excelente.

3. FERN - 26 novembro, 2007

simplesmente sensacional a citação da LIGA PAMPA, eu e o fútbol de verdad agradecem!

LIGA PAMPA português:
http://www.ligapampa-rs.blogspot.com

4. 4ª edição « - 28 novembro, 2007

[…] Nesta coluna, um certo Luís Felipe dos Santos pisa no calo do futebol europeu, historicamente perdedor em confrontos diretos, apesar do aporte inacreditável de grana. […]

5. Samuel - 27 agosto, 2009

Excelente artigo, precisamos de pessoas assim que falem mesmo. Para quem gosta de discussões sobre futebol pode acessar o http://www.futebolforum.tk


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: